A "Extreme - More Than Words " não possui direitos autorais sobre as fotos publicadas no Blog. Preservamos Marcas d'água e nomes dos detentores dos direitos se houver. A marca "Extreme - More Than Words" encontradas nas fotos serve apenas como referência de compartilhamento.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Gary, Paul, Nuno e Pat jamais imaginaram que isso pudesse acontecer.


Eu tenho certeza que quando Gary Cherone começou a cantar (1976), jamais imaginou os lugares que sua voz alcançaria.
Não creio que Paul Geary, quando trabalhava como tosquiador de ovelhas, tenha pensado que um dia viesse a ser real a história que você vai ler hoje aqui.
Quando esses dois, acima citados, iniciaram uma Banda em 1981...ainda assim, não pensaram na possibilidade  de essa minha narrativa acontecer.
Quando Pat Badger trabalhou na loja que fazia guitarras por encomenda, nunca  pensou que um fato como esse seria possível. E quando Nuno Bettencourt entrou nessa mesma loja e conheceu Pat Badger, nem passou por sua mente que toda essa história envolveria o nome dele.
Nenhum desses quatro caras, desde 1985 aos dias de hoje, jamais imaginou o poder que seus instrumentos, seus dons, suas criatividades musicais unidas, também uniriam tantas pessoas.

Eles não imaginaram que o Facebook existiria. Nem que Herlon Chernicharo criaria um grupo com intuito de trazê-los para o Brasil (Extreme The Band Brasil). Não imaginaram que tantas pessoas fariam parte desse mesmo grupo. Não imaginavam que o WhatsApp existiria. Não imaginavam que Fábio Silva e Patricia Queiroz  (Que faziam parte do Extreme The Band Brasil) resolveriam criar um grupo dentro do WhatsApp com intuito de reunir fãs para irem juntos aos Shows da Extreme no Brasil em 2015.
Mas o que Gary, Nuno, Pat e Paul nem sonhavam em 1986,era que pessoas se conheceriam dentro desse grupo (Família Extreme, Criado em 17 de Abril de 2015) e permaneceriam tanto tempo juntos, mesmo após às apresentações.

Sim, os shows aconteceram...o grupo poderia ter cessado. Mas, não.
Muitos entraram. Poucos saíram. Homens, mulheres, jovens e crianças. Pessoas de vários Estados do Brasil. Pessoas de outros países. O grupo começou falando de Extreme, mas estendeu o assunto. As pessoas compartilharam sobre suas  vidas, suas alegrias, dores. Dividiram a dor de seus entes que se foram, e a alegria dos bebês que nasceram, dos bebês que ainda estão pra chegar.
E de lá pra cá, eles se encontram, comem juntos, brindam juntos, se abraçam, riem, cantam. As vezes choram juntos também. Continuam Celebrando a Banda Extreme.

Bendito seja Gary Cherone quando conheceu Paul Geary. Bendito seja Nuno ao entrar na loja em que Pat trabalhava. Benditos sejam os "Sinful" (Nuno) quando abriram o show do "The Dream" (Gary e Paul). Benditos sejam os três por terem se juntado para formar a Extreme e por ter convidado Pat para fazer parte da Banda.
Naquele dia, quando os quatros se reuniram, a "Família Extreme" foi uma semente plantada. Essa "Família" foi germinada nos sonhos desses caras. Nasceu 29 anos depois, com a união de pessoas que admiravam toda essa trajetória de lutas, conquistas, pequenos e imensos shows, fitas K-7, LPs, Cds, DVDs e Blu Ray. Que admiraram os demais integrantes que vieram a fazer parte da história da banda.

Graças aos extremos sonhos, a "Família Extreme" passou a existir, passou a ser real. Sim, estão há dois anos juntos, juntos de verdade.

Uma união como essa só consegue chegar onde chegou (nos tempos de hoje) quando se ouve "Rest in Peace", compreende a letra, usa em sua vida e começa a seguir o que se pede em "Song for Love".

Parabéns, "Família Extreme", pelos dois anos de união. Que essa união possa ser comemorada muitas vezes. E que eu possa sempre ser testemunha dessa grande história...essa extrema história.